Imprensa e Poder: O Plano Diretor sob a ótica dos jornais impressos

Por Felipe Shikama

As crescentes investigações teóricas acerca do papel desempenhado pelo jornalismo no espaço público têm apontado, em diferentes perspectivas, o elevado grau de consenso que ele é capaz de articular.

A partir da premissa que os jornais oferecem uma base de consentimento para certa ordem social, na medida em que as notícias estabelecem mapas de significado por meio dos quais as pessoas lêem e interpretam o mundo, este trabalho intenta investigar o modus operandi da produção do consenso desempenhado pelos jornais em um recorte local.

Para identificarmos o modo como os jornais locais operam pelo alto grau de consenso social, aprofundamos em estudos de comportamento do “campo jornalístico”, tendo por base uma série de hipóteses e teorias construcionistas da notícia, explanadas principalmente pelos pesquisadores portugueses Nelson Traquina e Jorge Pedro Sousa.

Aliada a essas teorias, este trabalho analisa a cobertura que que os dois tradicionais jornais sorocabanos, Cruzeiro do Sul e Diário de Sorocaba, fizeram, desde 2003, do debate público acerca do projeto de Lei nº. 7122, que institui o Plano Diretor de Desenvolvimento Físico e Territorial de Sorocaba até sua promulgação em 02 de junho de 2004.

A metodologia utilizada é a Análise de Conteúdo, especialmente em suas versões mais atuais, na qual se busca também identificar o “enquadramento” (frame) das matérias, conforme conceito desenvolvido por, entre outros, Mauro Porto e Todd Gitlin.

Tomando emprestadas importantes categorias do pensador italiano Antonio Gramsci, esta pesquisa, além de investigar a questão do consenso em um espaço público estritamente local, faz-se necessária, pois, mesmo considerando que os jornais, como ‘Aparelhos Privados da Hegemonia’, desempenhem elevado grau de consenso a favor da ideologia dominante, tal fato não anula a existência de manifestações dos mais diversos interesses (legítimos) das classes subalternas e os conflitos resultantes.

Estes conflitos reais são investigados na cobertura do Plano Diretor, visto que os rumos e as perspectivas que ele pode indicar o tornam uma arena local da disputa política entre as classes e frações de classe e, nesse cenário, portanto, cabe ao jornalismo o papel fundamental de desempenhar e estabelecer, do modo mais plural possível, uma agenda pública de discussões.

(Clique aqui para ler o segundo capítulo)

Artigo científico de autoria de Felipe Shikama – produzido originalmente para o Programa de Iniciação Científica (Probic) pela Universidade de Sorocaba sob a orientação do prof. Dr. João José de Oliveira Negrão. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s