Solteiros se reúnem em busca de diversão

Felipe Shikama

Todas as manhãs, com entusiasmo, Arlene Scapol liga seu computador e acessa seu e-mail de onde dispara a mensagem tão aguardada pelos seus destinatários. “Bom dia, o que vamos fazer hoje à noite?”, pergunta o carinhoso e-mail, dirigido aos cerca de 50 membros que compõem o grupo Solteiros Sem Solidão.

Criado em meio ao Carnaval de 2009, por apenas três integrantes, o grupo tem como objetivo promover a socialização e o divertimento de pessoas solteiras.

“Imaginamos que, como nós, muitas pessoas deveriam se sentir sozinhas também”, explica a gerente de Recursos Humanos, Arlene Scapol, uma das fundadoras do grupo.

Aos poucos, o grupo foi recebendo novos amigos que habitualmente se reúnem para se divertirem em bares, shows e viagens. “Semana a semana foram chegando mais pessoas indicadas pelos participantes e outras indicadas até por psicólogos da cidade”, comenta Arlene.

Embora tenha como natureza ser um grupo informal, aberto a todos os interessados, os Solteiros Sem Solidão contam com presidente e diretoria. Todos dedicados a comunicar e organizar os encontros. “Não que alguém seja ou se sinta mais importante que os outros. Essa diretoria é para que o grupo seja uno”. Além dos e-mails, disparados diariamente, a comunicação entre seus membros também acontece por telefone. Na internet, o grupo conta com uma comunidade na rede social do Orkut. “Nós nos comunicamos até ‘sinal de fumaça’ se preciso. Pode fazer parte quem é solteiro, quem gosta de se divertir e ter amigos”, convida Arlene, sem deixar o bom humor de lado.

Lazer e alegria

Se a descontração é o objetivo do grupo de pessoas que, por diversas razões, estão solteiras, o que não falta é atividade para que as reuniões aconteçam. “Fazemos passeios, viagens, encontro nas casas dos participantes, barzinhos da cidade, muitos churrascos, inúmeras pizzadas, caminhadas na pista do Campolim, saímos para dançar, mas o que mais fazemos é rir. Nós rimos muito juntos”, resume Arlene.

Assim como a jornalista Rosana Pires e o estudante universitário José Augusto Bressani (ver página XX), Arlene Scapol reitera que estar solteiro não é sinônimo de viver solitariamente. “Muito pelo contrário. Existem pessoas casadas e solitárias. Isso é triste, mas muito comum. O que não sentimos no grupo é solidão”.

Além das sugestões dos passeios e atividades sociais da semana, enviadas por e-mail, a diretoria do grupo faz questão de diariamente desejar “bom dia” aos seus integrantes. “A partir daí rolam e-mails o dia todo. São brincadeiras, textos interessantes, piadas”.

Para Arlene, as pressões e preconceitos impostos pela sociedade diante da “solterice” ainda existe, mas vêm diminuindo com o passar do tempo. “Temos sentido da maioria das pessoas apoio por estar solteiro e, para falar francamente, até uma “invejinha” de alguns”, analisa. Ela revela que muita comprometida tem o desejo de integrar o grupo. “Mas não tem coragem de sair de um relacionamento, muitas vezes fracassado”. 

Um dos lugares mais freqüentados pelos Solteiros Sem Solidão é Bar Intervalo, de propriedade de um dos membros do grupo. “Toda sexta-feira estamos lá, ao lado da faculdade Anhanguera. E os outros lugares nós é que fazemos, porque chegamos e nos divertimos, seja o ambiente que for”, explica Arlene.

Só vantagens

Questionada sobre quais as vantagens e desvantagens de estar solteira, Arlene não tem dúvidas: “Neste momento só vejo vantagem: liberdade e muitos amigos”, celebra, antes de exaltar a “quebra da rotina”. “Um relacionamento estável geralmente é acompanhado de rotina, o que não acontece com a maioria dos solteiros. No nosso grupo, do que a gente nunca vai morrer é de tédio”, diverte-se.

Ela destaca que muitas pessoas separadas ou viúvas acabam adotando o habito de se vitimizar. “Tem gente que depois de se separar ou ficar viúva assume o papel do CDM, Coitadinho de Mim, optando pela solidão. Talvez por acreditarem que receberão atenção por isso. Com o tempo o que vemos são pessoas ressentidas, porque ninguém atende a expectativa de ninguém. A felicidade não está no outro. Ela não vem de nada externo, nem de coisas, nem de pessoas. Vem de dentro de nós”, conclui.

Anúncios

12 comentários sobre “Solteiros se reúnem em busca de diversão

  1. gostaria de me informar melhor como faço p/ entrar no grupo de vcs de solteiros. eu e minha amiga estamos precisando dar boas risadas, fazer amigos, enfim… agradecemos desde ja pela oportunidade, abraços.

  2. Gostaria de participar deste grupo de solteiros!A princípio, com o objetivo, de fazer novas amizades.Por gentileza,me passem mais informações sobre.Grata.
    Rita de Cassia.

  3. Oi! Sou do interior de São Paulo, como faço para entrar no grupo? Tb gostaria de ter mais informações!! Muito obrigada!

  4. gostaria de fazer parte desse grupo de solteiros.sou solteiro e nunca casei.tenho 55 anos.e se pudesse entrar em contato comigo, agradeceria. E melhor por telefone. meu numero e 98130006

  5. Olá, sou de Sorocaba e me interessei pelo grupo, se possível mande me um e-mail para que possamos fazer amizades. Obrigada Dany

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s