Assentados retornam às aulas na UFSCar Sorocaba

O campus Sorocaba da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) deu início nesta segunda-feira (10) ao quinto módulo do Curso Especial de Bacharelado em Agronomia com ênfase em Agroecologia e Sistemas Rurais Sustentáveis.

O curso é destinado aos assentados da reforma agrária, por meio da parceria entre a UFSCar e o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera), do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e os movimentos sociais de apoio à reforma agrária.

Inserção social

O objetivo do curso é contribuir para a inserção social dos assentados agricultores e dar subsídios técnicos para a melhoria na produção e na comercialização de seus produtos. As aulas são realizadas no campus Sorocaba durante as férias acadêmicas e têm continuidade em atividades desenvolvidas no assentamentos de origem dos alunos. O término do curso está previsto para 2013.

Fernando Silveira Franco, professor do campus Sorocaba da UFSCar e coordenador do Curso Especial, revela que a graduação é muito semelhante aos tradicionais cursos das universidades. “É um curso de graduação com o mesmo conteúdo de disciplinas e créditos, como qualquer outro da universidade. A grande diferença é que as aulas são ministradas em módulos, em período integral (8 às 18 horas) nos meses de janeiro, fevereiro e julho”, explica o docente.

Segundo Franco, as aulas correspondem às etapas presenciais e são denominadas de “Tempo Escola”. As atividades realizadas nos assentamentos são denominadas de “Tempo Comunidade”. Nessa fase, os alunos aplicam seus conhecimentos e fazem trabalhos acompanhados por monitores (técnicos formados), que auxiliam os estudantes.

Movimentos sociais

O Curso Especial de Bacharelado em Agronomia com ênfase em Agroecologia e Sistemas Rurais Sustentáveis, oferecido pela UFSCar, é o primeiro a utilizar o sistema de “Pedagogia da Alternância” no Estado de São Paulo.

Estão matriculados no curso 52 assentados de todas de cidades da região e de todo Estado de São Paulo. Todos pertencem a movimentos sociais ligados à luta pela reforma agrária. Há representantes da Organização das Mulheres Assentadas e Quilombolas do Estado de São Paulo (Omaquesp), Federação dos Empregados Rurais Assalariados do Estado de São Paulo (Feraesp), Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), e da Federação de Agricultura Familiar (FAF).

Os assentados estão alojados na Vila Universitária (Sorocaba) e todos os custos de acomodação, transporte e alimentação são de responsabilidade do Pronera. As informações são da assessoria de imprensa da UFSCar

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s