O “erro” intencional da Secretaria de Cultura de Votorantim

Atenta às infinitas possibilidades promovidas pela internet, a Secretaria de Cultura de Votorantim se faz presente também no Facebook. Curiosamente, observei este bunner, com a “marca” da pasta,  minuciosamente planejada pelos seus integrantes.

“A cultura pertence as pessoas”, assim mesmo, sem acento indicador de crase – aquele que, como aprendemos na 4 série, indica a fusão entre a preposição “a” e o artigo “a”.

 De imediato, apenas no sentido de contribuir com a correção do aparente escorregão, tanto gramatical e ortográfico, questionei uma assessora da Secretaria de Cultura. E descobri que a questão já havia sido apontada por outros – mais atentos do que eu. Em seguida, notei que o suposto equívoco foi estabelecido intencionalmente, como foi confirmado pelo próprio secretário de Cultura, Cleyton Leme. 

E você, o que acha? Vamos debater! Comente!!!
Segue abaixo justificativa do secretário de Cultura de Votorantim, Clayton Leme, sobre o “erro” intencional de portugês: 

O Governo Municipal em Votorantim tem proposto outras formas de poder enxergar a relação Cultura e Cidade, essa provocação foi feita dentro do planejamento da equipe, onde surgiu a marca “A Cultura Pertence as Pessoas”, e logo verificamos que a ausência da crase nos colocava intimamente ligados com duas questões que tinhamos o comprometimento em trabalhar para o seu desenvolvimento: “A Cultura” e “as Pessoas”.
 
Para a equipe da Secretaria de Cultura, responsável em criar condições para essa relação de pertencimento, ficou definido como marca desse comprometimento com a Cultura e com as Pessoas, o fazer pertencer. Chegamos ao óbvio que nem sempre é percebido, mas uma Secretaria de Cultura não faz Cultura, tem o papel de construir políticas públicas para a Cultura, criando ambientes favoráveis à permanência e à existência de manifestações dos quereres e saberes de uma cidade.
 
Por isso escrevemos intencionalmente o “a” sem crase para lembrarmos sempre que nossos compromissos se dão com dois segmentos, são dois pactos feitos dentro do Governo Municipal: o de se trabalhar com/para a Cultura e com/para as Pessoas.
 
Acreditei que essa reflexão chegaria um dia, para nós é um privilégio podermos falar e refletir conceitualmente de algo que acreditávamos que passava em branco até agora. Mas é muito bom descobrir que existem pessoas interessadas em debater Cultura e modos de olhar o mundo. Parabéns pelo debate!
 
Att
Clayton Leme

Anúncios

Um comentário sobre “O “erro” intencional da Secretaria de Cultura de Votorantim

  1. Pois é… Paulo Coelho usou o mesmo argumento para justificar entre vários dos erros gramaticais cometidos ao longo da carreira… Disse que em “Eu nasci a dez mil anos atrás” usou “a” em vez de “há” para uniformizar seu uso como em “vou sair daqui a dez minutos”… ERRO GROSSEIRO, tanto quanto dizer que “a cultura pertence as pessoas”…
    Isso é erro segundo a gramática normativa, e não licença poética, como a SECTUR costuma justificar-se… Leia-se Quintana:

    POEMINHA DO CONTRA

    Todos estes que aí estão
    Atravancando o meu caminho,
    Eles passarão.
    Eu passarinho!

    Eles passarão, eu passarinho: isso é licença poética… Há a forma verbal passarão (3.a p. do plural) que coincide com o aumentativo de pássaro, mas não há a forma verbal passarinho…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s